Assédio moral no trabalho

Um dos pontos inerentes ao nosso trabalho enquanto gestores de pessoas, estando em qualquer nível da hierarquia organizacional, é estar atento ao Assédio Moral no ambiente no trabalho, onde a sua complexibilidade e nossa cultura brasileira de acobertar ou ‘levar na brincadeira’ muitas vezes causam prejuízos incalculáveis para a Empresa, seja prejuízo financeiro, queda de produtividade, clima organizacional afetado e imagem corporativa manchada. O assédio moral é a exposição dos trabalhadores e trabalhadoras a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções, sendo mais comuns em relações hierárquicas autoritárias e sem simetrias, em que predominam condutas negativas, relações desumanas e aéticas de longa duração, de um ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinado(s), desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização, forçando-o a desistir do emprego.

Caracteriza-se pela degradação deliberada das condições de trabalho em que prevalecem atitudes e condutas negativas dos chefes em relação a seus subordinados, constituindo uma experiência subjetiva que acarreta prejuízos práticos e emocionais para o trabalhador e a organização. A vítima escolhida é isolada do grupo sem explicações, passando a ser hostilizada, ridicularizada, inferiorizada, culpabilizada e desacreditada diante dos pares. Estes, por medo do desemprego e a vergonha de serem também humilhados associado ao estímulo constante à competitividade, rompem os laços afetivos com a vítima e, freqüentemente, reproduzem e reatualizam ações e atos do agressor no ambiente de trabalho, instaurando o pacto da tolerância e do silêncio no coletivo, enquanto a vítima vai gradativamente se desestabilizando e fragilizando, perdendo sua auto-estima.

A humilhação repetitiva e de longa duração interfere na vida do trabalhador e trabalhadora de modo direto, comprometendo sua identidade, dignidade e relações afetivas e sociais, ocasionando graves danos à saúde física e mental, que podem evoluir para a incapacidade laborativa, doenças pisicossomáticas e desemprego, constituindo um risco invisível, porém concreto, nas relações e condições de trabalho.

Autor:
Evaldo Eugênio do Nascimento
Administrador de Empresas

2 comentários sobre “Assédio moral no trabalho

  1. Boa noite, tudo bem? sofri assédio sexual não cedi a chantagem, e fui vítima de assedio moral, de um homem sem escrupulos e imoral, fui caluniada ,difamada ,exposta a situações que nunca imaginei passar, o abuso de poder foi imaginável, e sites como o seu me ajuda muito, parabéns , pois no meu caso a admistradora da instituição ajudou a cometer o crime, ambos estão longe de saber o que é uma boa admistração, obrigada por deixar informações tão valiosas , pois nunca havia visto falar em assedio moral e já trabalho em empresas a 20anos,e apos o ocorrido procurei ajuda de sindicatos, do ministério do trabalho, do COREM, do Cofem, de todos e não encontrei apoio algum, só em sites como o seu eu tenho amparo, obrigada pela ajuda, um abraço…. PARABÉNS, OBRIGADA

    • Fico feliz por lhe passar alguma informação útil.
      Muitos já sofreram com este tipo de situação e nem sequer sabem disto.

      Veja só alguns textos que agora vão lhe engrandecer o espírito e trazer mais alegria para sua vida.
      Somos Todos Um

      Tem outra, veja os 4 vídeos publicados no seguinte endereço: Artes do Sul
      Eles farão você pensar, e muito…

      Abraço
      FICA COM DEUS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s