Influenza A (H1N1)

Informações importantes sobre a gripe que se alastra pelo mundo.

Anúncios

Importância do Trabalho em Equipe

gestaoprojetoConta uma lenda que Deus convidou um homem para conhecer o céu e o inferno.

Foram primeiro ao inferno.

Ao abrirem uma porta, o homem viu uma sala em cujo centro havia um caldeirão de substanciosa sopa e à sua Volta estavam sentadas pessoas famintas e desesperadas.
Cada uma delas segurava uma colher, porém de cabo muito comprido, que lhes possibilitava alcançar o caldeirão, mas não permitia que colocassem a sopa na própria boca. O sofrimento era grande.

Em seguida, Deus levou o homem para conhecer o céu.
Entraram em uma sala idêntica à primeira: havia o mesmo caldeirão, as pessoas em Volta e as colheres de cabo comprido. A diferença é que todos estavam saciados. Não havia fome, nem sofrimento.
‘Eu não compreendo’, disse o homem a Deus, ‘por que aqui as pessoas estão felizes enquanto na outra sala morrem de aflição, se é tudo igual?’
Deus sorriu e respondeu:
‘Você não percebeu? É porque aqui eles aprenderam a dar comida uns aos
outros.

Moral:

Temos três situações que merecem profunda reflexão:

1. Egoísmo: as pessoas no “inferno” estavam altamente preocupadas com a sua própria fome, impedindo que se pensasse em alternativas para equacionar a situação;

2. Criatividade: como todos estavam querendo se safar da situação caótica que se encontravam, não tiveram a iniciativa de buscar alternativas que pudessem resolver o problema;

3. Equipe: se tivesse havido o espírito solidário e ajuda mútua, a situação teria sido rapidamente resolvida.

Conclusão:

Dificilmente o individualismo consegue transpor barreiras.

O espírito de equipe é essencial para o alcance do sucesso;

Uma equipe participativa, homogênea, coesa, vale mais do que um batalhão de pessoas com posicionamentos isolados.

Isso vale para qualquer área de sua vida, especialmente a profissional.

Por que nos comparamos com os outros? Isso atrapalha a carreira?

A comparação é uma forma de nos avaliarmos, explica a psicóloga e psicoterapeuta Clarice Barbosa. Assim, no dia a dia, comparamos nosso emprego com o de conhecidos, os resultados que obtivemos na empresa com os dos colegas, e até mesmo salários.

“Estamos condicionados a fazer comparações o tempo todo e nem percebemos. Na família, no trabalho, na profissão, na sociedade”.

Continuar lendo

Aprenda a engolir sapos

Quando trabalhava como recepcionista, Jaciara Cristina, 33 anos, teve de aturar diversos desaforos de um patrão pouco simpático. O pior deles foi ser ridicularizada na frente dos clientes após um corte de cabelo. “Ele (o chefe) não gostou e começou a gritar mandando eu mudar o penteado”, lembra. Para não pôr o emprego em risco, a moça se retirou do ambiente e não disse mais nada. “Na hora, tive vontade de responder à altura”, afirma.

Continuar lendo