5 sites que aumentam o conhecimento

Reserve pelo menos 30 minutos para navegar nestes sites indicados. Você poderá se surpreender com o que pode aprender.

1. TED: Inspirational Ideas Worth Spreading

“Tecnologia, entretenimento e design” era o significado original para TED. Porém, ao longo ds anos, o site cresceu e agora fala de qualquer assunto sobre nossa sociedade: racismo, educação, prosperidade econômica, dicas de gerência e administração, capitalismo vs. socialismo, tecnologia, cultura, origens do universo. Se você se considera uma pessoa inteligente que quer aprender sobre o mundo em que vive, deve visitar TED.com.

2. RSA Animate: Hand-Illustrated Presentation

O RSA é um portal sem fim de lucros que busca soluções para o mundo moderno: fome, pobreza, crime, opressão política, meio-ambiente, educação, justiça social. A maioria das mensagens produzidas pelo site está na forma de quadrinhos desenhados por ilustradores. Os vídeos também são ótimos e provocam boa reflexão.

3. Inc.com

O nome do site vem de “incorporation” (incorporação) e é uma fonte inteligente de recursos para o mundo dos negócios. Baseado em teorias modernas de crescimento empresarial, o Inc.com tem uma extensa rede de blogueiros modernos e opiniões de grandes líderes. Os conhecimentos e os conselhos que o site passa são modernos e profundos.

4. Khan Academy

O Khan Academy é um grupo não-filantrópico, sem fins de lucro para oferecer educação de qualidade a todos online. Todos podem aprender: professores, estudantes, pais, profissionais. Praticamente qualquer conteúdo educacional está disponível no portal.

5. How Stuff Works

Pessoas curiosas devem amar HowStuffWorks.com. O site é da companhia Discovery Channel e tem vídeos de alta qualidade. Lá você pode descobrir como tornados acontecem, como motores funcionam, como tubarões atacam, como matadores em série são pegos. O portal oferece aprendizado valioso para toda a família.


Fonte: Universia Brasil

Como Transformar Informação em Conhecimento

Por: Erika de Souza Bueno

Na frente de um computador conectado numa página de pesquisa, pais, filhos, alunos e professores se veem diante de uma mesma questão: o que, dentre tantas informações, é realmente confiável?

Para responder a essa questão, um dos caminhos é não confiar cegamente em tudo o que parece inteligente à primeira vista, um segundo olhar é fundamental.

Há muitos endereços na web que aparentam ter conteúdos de boa qualidade, mas, algumas vezes, tudo não passa de uma linguagem muito bem-articulada, com inúmeros pensamentos e frases com frágeis características de intelectualidade.

Mesmo que o mundo esteja cada vez mais veloz, tenha calma, detenha-se com um pouco mais de cautela e, frente às informações que se saltam aos seus olhos, faça análises, contrastes e questionamentos, não aceitando tudo o que lê como se fosse verdade absoluta.

É também desejável que você tenha paciência e habilidade com outras fontes de leitura, não se limitando apenas aos conteúdos práticos, rápidos e de fácil acesso da internet.

Aproxime-se mais de autores conceituados, mas, mesmo com eles, é seu direito enquanto leitor fazer críticas e se perguntar se realmente aceita o que está sendo proposto.

Se estiver lendo palavras bonitas ou frases que brincam com o significado para surpreendê-lo, remexa-se e esforce seu cérebro para, mais uma vez, questionar a coerência do que você está sendo lido.

Confie mais em sua capacidade leitora. Durante qualquer leitura, ouse sair do lugar-comum e busque em outras fontes subsídios para compor conteúdos que sejam suficientes para possibilitar uma análise eficiente e eficaz.

Considere que você não está algemado e é livre para percorrer por livros, revistas, jornais, sites, fóruns, enfim, você tem toda a liberdade para contrastar suas leituras.

Só assim, ou seja, somente a partir de um comportamento pesquisador e analítico, que não aceita facilmente qualquer coisa que lê, é que você conseguirá construir um caminho mais seguro entre as diversas informações e o conhecimento.

Assim sendo, não tenha tanta pressa quando o assunto é ler para construir aprendizagem. Vá contra a ordem do mundo que dita a velocidade de tudo e desacelere-se para ter um raciocínio coerente.

São tantas as informações que, em geral, as pessoas não têm tempo para organizá-las e, com isso, não são capazes de fazer melhor proveito delas.

Pense que muito mais do que saber tudo, você precisará saber o que é útil, caso contrário seus conteúdos serão subutilizados.

Pare, não se limite a apenas poucas e/ou imprecisas fontes, faça conexões, questione o que está lendo, contraste opiniões em diversos níveis, enfim, organize-se e dedique-se como leitor.

Autora: Erika de Souza Bueno Coordenadora Educacional da empresa Planeta Educação; Professora e consultora de Língua Portuguesa pela Universidade Metodista de São Paulo; Articulista sobre assuntos de língua portuguesa, educação e família; Editora do Portal Planeta Educação (www.planetaeducacao.com.br).

Fonte: http://www.planetaeducacao.com.br/portal/artigo.asp?artigo=2440

 

Programa Jovem Aprendiz

O Programa Jovem Aprendiz é uma ação do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que une ensino formal com cursos de qualificação.

As Leis nº 10. 097/00 e 11.180/05 prevêem que determinadas empresas cumpram com uma cota de contrato de jovens aprendizes em seu quadro de funcionários.

Para participar do Jovem Aprendiz, o candidato deve ter entre 14 e 24 anos e estar matriculado em cursos de aprendizagem profissional.

Os jovens podem ser contratados para jornadas de 4, 6 e 8 horas diárias – dependendo do estabelecido no programa de curso.

Aprendizes cursando o ensino fundamental devem ter uma jornada de 6 horas diárias.

ImagemJá os menores de 18 anos não podem exercer atividades perigosas ou insalubres, trabalhar em horário noturno, realizar hora extra, compensar jornada e também desenvolver trabalho externo, a exemplo de office boy.

A Lei determina que empresas de médio e grande porte contratem jovens de 14 a 24 anos, para capacitação profissional (prática e teórica), cumprindo cotas que variam de 5% a 15% do número de funcionários efetivos qualificados.

É facultativa a contratação de aprendizes pelas microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP).

Pós-Graduação Gratuita: Especialização, Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado

academyQuem já é graduado em uma instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC tem o direito de fazer uma Pós-graduação.

Você pode fazer dois tipos de pós-graduação grátis:

  • lato sensu: Eles tem objetivo de aprimorar você profissionalmente em especializações e atualizações. A nomenclatura comum utilizada é a sigla em inglês MBA (Master Business Administration, ou Mestre em Administração de Negócios, em tradução livre). Apesar do nome ele não é considerado como um mestrado, como nos EUA.
  • stricto sensu: Este sim é o mestrado e doutorado, com objetivo de formar pesquisadores e professores universitários. A meta principal deste tipo de pós-graduação é o incentivo ao desenvolvimento científico.

Você também tem a opção de fazer cursos rápidos que entregam certificado na sua casa.

Há vários caminhos para você conseguir concretizar a sua pós graduação gratuita:

1. CAPES

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior é um braço governamental da pós graduação gratuita exclusivamente stricto sensu. Pela CAPES você pode conseguir bolsas de estudos para desenvolver pesquisas e fazer mestrado e doutorado. As bolsas de estudos da CAPES para mestrado partem dos R$ 1.400 ao mês, para doutorado R$ 1.800 e para pós-doutorado R$ 3.200. Para mais informações veja aqui.

2. CNPq

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico também é uma via do governo para o desenvolvimento do conhecimento científico. As bolsas de estudo CNPq para a sua pós graduação grátis tem valores parecidos com os da CAPES, mas para doutorado e pós-doutorado incluem uma taxa de bancada de R$ 400 por mês. Este dinheiro pode ser utilizado para adquirir livros e viajar para congressos. Veja detalhes aqui.

3. FINEP

A Financiadora de Estudos e Projetos, FINEP, fomenta o desenvolvimento tecnológico, científico e empresarial e realiza o financiamento para tanto para instituições quanto para estudantes em diversas modalidades permitindo a realização de pós graduação gratuita. Saiba mais aqui.

4. Fapesp

AFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo tem propósitos parecidos com os das instituições acima, mas também possibilita a realização da pós graduação grátis de maneiras distintas, mas limitado ao estado de São Paulo. Para mais detalhes visite aqui.

5. Mais Estudo

É uma empresa privada que fornece bolsas de estudos parciais. Não permite pós graduação gratis, mas financiam parte dos estudos. Com parceirias realizadas com faculdades e universidades particulares a Mais Estudo completa as vagas ociosas nos bancos das universidades ampliando a receita da instituição e diminuindo o custo para o aluno. Veja aqui.

6. Bancos

A grande maioria dos bancos tem programas de financiamento estudantil. Eles pagam parte ou toda a sua pós-graduação e você devolve o dinheiro com juros quando já estiver exercendo a profissão, depois de formado, com juros.

O nosso propósito foi enumerar as principais vias de acesso a uma pós graduação gratuita, mas certamente há outras instituições que fomentam o desenvolvimento dos estudos que poderiam te ajudar caso esteja procurando se especializar e atualizar.

Vi no hypescience

Lista de coisas a serem eliminadas do seu tempo

tempoPara um empreendedor ter isso muito claro é vital.

1 – Atividades operacionais: Se você fica o tempo todo em atividades operacionais, você trabalha “NO” negócio e não “O” negócio de forma mais ampla. Talvez esse modele esteja impedindo a empresa de crescer, de descentralizar decisões ou até de permitir que você tenha mais tempo para sua vida.

Como sugestão, se você usar o Neotriad ou o MS Outlook, pode classificar essas tarefas como circunstanciais ou colocar uma categoria específica. Depois, analise sempre a semana anterior, para ter uma clareza do que anda acontecendo.

2 – Reuniões sem objetivo definido: Quantas reuniões participamos por conveniência ou porque simplesmente não queremos dizer não? Eu só tenho agendado reuniões que tenham um resultado claro para mim, todas as outras eu corto ou mudo o meio (Skype ao invés de presencial).

3 – Pular de ideia em ideia: Empreendedor parece que tem adrenalina em excesso, já reparou? Muitos são tão frenéticos no dia-a-dia, que ao primeiro sinal de uma ideia, já largam tudo e saem fazendo. No final, muito tempo perdido e pouco resultado prático. Seja mais seletivo, saiba diferenciar oportunidades de perdas de tempo.

4 – Controlar o horário da equipe: Se você tem essa mania de controlar se seu assistente chegou às 8h ou 8h10, fique sócio da Dimep, que é uma indústria de relógios de ponto! Controle resultados, projetos, entregas e não horários de forma minuciosa. Cada vez mais o horário será coisa do passado. Com trânsito, enchentes, internet, precisamos ser flexíveis. Se a pessoa funciona melhor chegando às 10h e saindo às 20h, porque não ser mais flexível?

5 – Adiar férias: Relaxar é um item que precisa ser priorizado e não deixado de lado! Trabalhar freneticamente, sem pausas, mata sua produtividade, sua criatividade e deixa você mais chato. Tire férias curtas (3 a 5 dias) e várias vezes ao ano, o resultado é melhor.

6 – Atender alguns clientes: Se o cliente não gera lucro (não disse faturamento), não gera resultados, não ajuda a equipe e tira sua paz, talvez esse cliente não seja um cliente para você. Corta, cancela o contrato, nem pensa muito.

E você, o que acha que precisa parar de fazer para sua empresa e/ou sua vida começar a evoluir?

Autor: Christian Barbosa

Vi no HSM

Grupos investidores buscam negócios inovadores no Brasil

investirA seguir lista de grupos investidores que estão buscando negócios inovadores no Brasil para compor seus portfólios

1 – Draper Fisher Jurvetson

Tim Draper (foto), investidor de negócios de sucesso como Skype, Hotmail e Baidu, está de olho nas startups brasileiras. Recentemente, o investidor participou de uma sessão de perguntas e respostas com empreendedores locais via videoconferência. O investidor comanda o fundo Draper Fisher Jurvetson (DFJ), que tem mais de US$ 5 bilhões comprometidos e já realizou mais de 600 investimentos em todo o globo. No Brasil, a DFJ opera em conjunto com a FIR Capital

2 – Benchmark

Um dos fundos de capital de risco mais ativos no Vale do Silício, o Benchmark fez seu primeiro investimento no Brasil no ano passado, colocando dinheiro no popular site de compras coletivas Peixe Urbano. Ementrevista à EXAME, Matt Cohler (foto) – um dos sócios do fundo que tem no portfólio investimentos em mais de 150 empresas de tecnologia, como Twitter e eBay – afirmou que o Brasil é, junto com a China, o maior alvo para novos investimentos, especialmente nas áreas de internet e serviços de software e infraestrutura.

3 – Atômico

O grupo europeu Atômico, criado por Niklas Zennström (foto), um dos fundadores do Skype,  está com toda a atenção voltada à America do Sul. O comprometimento é tamanho que Geoffrey Prentice, membro do time que inaugurou as operações do Skype e um dos sócios do fundo, está de malas prontas para se mudar para o Brasil. O grupo já tem quatro investimentos na região – os nomes das empresas investidas ainda não foram abertos – e continua prospectando ativamente potenciais negócios no país. O alvo são empresas inovadoras de tecnologia com serviços voltados a usuários finais.

4 – FIR Capital

A FIR Capital tem R$ 80 milhões distribuídos em três fundos para investir em startups. A empresa planeja fazer até seis investimentos neste ano e o valor aportado deve variar entre R$ 1 milhão e R$ 5 milhões por negócio. O alvo são empresas com atuação em cadeias produtivas de negócios globais, como agronegócios, commodities, fármacos e internet. Já as áreas prioritárias para empresas com foco no mercado nacional são turismo, logística e serviços voltados ao publico de classe C. Um dos casos de sucesso do grupo é a empresa mineira de buscas Akwan, vendida ao Google.

Continuar lendo

Liderando Mudança de John P. Kotter

olho-13Por Júlio Pavlov

Faz mais ou menos uns dois anos que ganhei de presente um livro chamado Liderando Mudança de John P. Kotter, um professor de Harvard que se especializou em mudanças e como as empresas se diferem em seus processos, seus desafios, e em último caso, porque algumas parecem se saírem melhores do que outras.

Nesse momento você pode estar pensando: Isso não se aplica na minha pequena empresa ou a mim. A minha estrutura enxuta não precisa desse tipo de mudança. Ela ocorre diariamente, a passos ditados por mim ou por nossos liderados. Besteira!

Neste livro e em outros dois sobre o mesmo tema (O nosso Iceberg está derretendo e Sentido de Urgência), o autor discorre sobre o principal entrave para fazer com que as empresas alcancem um nível de performance que os coloque na liderança de seus cenários competitivos: O Sentido de Urgência.

Como a sua empresa e você lidam com os desafios, as oportunidades nesse novo contexto mundial, de internet, do poder nas mãos do cliente? Com que urgência os passos necessários estão efetivamente sendo dados? Você já parou para fazer essa pergunta?

Para isso, vou colocar aqui um trecho resumido do livro*, descrevendo ações que você pode programar a partir de hoje para que o sentido de urgência seja disseminado dentro de qualquer organização, de qualquer tamanho. Convido-lhe a ler esse trecho e ao terminá-lo, fazer uma análise de como você tem lidado com o assunto.

Elimine e delegue

· Impeça que uma agenda lotada torne impossível o comportamento urgente;

· Elimine itens de baixa prioridade;

· Cancele projetos secundários;

· Delegue, delegue e delegue;

· Não permita que subordinados deleguem problemas para você.

Avance rápido

· Use o tempo livre para responder imediatamente as chamadas, pedidos para agendar reuniões e e-mails sobre questões prioritárias;

· Nunca termine suas reuniões sem a clareza de quem vai fazer o que e quando.

Fale com paixão

· Enfatize sempre a necessidade do comportamento urgente e aja de acordo: avance, adapte-se e fique à frente da concorrência.

Fale com emoção

· Torne esse sentimento contagiante.

Alinhe palavras com as ações

· Não fale apenas sobre o mundo externo, encare-o constantemente.

· Não fale apenas sobre como explorar novas oportunidades, faça-o constantemente.

Deixe que todos vejam suas ações

· Aja da maneira mais visível possível e diante do maior número possível de pessoas. Deixe que todos conheçam seu sentido de urgência.

*Do livro Sentido de Urgência, Kotter, John P., Editora Best Seller, páginas 125 e 126.

E então? Pronto para começar a fazer a diferença e ser um agente de mudança dentro da sua organização? Os bons resultados de se ter o verdadeiro sentido de urgência só dependem de começar a praticar. Está esperando o quê?